quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Rebordaínhos - Apresentação da Freguesia

fotografia antiga do Pelourinho e Igreja Matriz
A Freguesia de Rebordaínhos é composta pela aldeia de Rebordaínhos (sede da Freguesia,) aldeia dos Pereiros e pelos lugares de Arufe, Vales e quinta de Vilas Boas de Arufe

localização da FREGUESIA
Nordeste Transmontano "Terra Fria"
Concelho e Distrito de Bragança
Serra da Nogueira
Dista 22 Km da sede do Concelho -
Lat:41.688744º N - Long. 6.868176º W
Altitud +- 1000m
A 4 Km da saída de Rossas no IP 4

DADOS GERAIS


>Padroeira: Santa Maria Madalena;
População: +- 190 habitantes;
Eleitores: +- 240;
Área: 13 km2;
Actividades Económicas: Agricultura, Pastorícia, comércio de gado (bovino e ovino), industria de Panificação e pequeno comércio
Gastronomia: Enchidos, folar da Páscoa casulas e roscas;
Movimento Associativo: Associação Social, Cultural e Recreativa de Rebordaínhos; Zona de caça associativa de Rebordainhos
Fauna: Javali, coelho, lebre, raposa e perdiz;
Flora: Castanheiro, carvalho e pinheiro;
Locais de Interesse Turístico: Fraga da Ladeira, Fraga do Berrão e Cabeço Cercado;
Ecologia: Serra da Nogueira (integrada na rede Natura 2000)
Percursos; Percurso Pedestre dos Pereiros

Composição da Junta de Freguesia

Presidente
Albino Alves Rodrigues - PPD/PSD
Secretário - Emília Carolina Fernandes Caminha - PPD/PSD
Tesoureiro - José Afonso Moreira - PPD/PSD

Composição da Assembleia

Presidente - Olga Marília Fernandes Pais - PPD/PSD
1º. secretário - José Jorge Martins Caminha - PPD/PSD
2º. secretário - Fernando Nascimento M. Alves - PPD/PSD
Vogal - Rafael António Baptista - PPD/PSD
Vogal - Alcino Benjamim Pereira - PS
Vogal - Adriano Augusto Martins - PS
Vogal - Tarcisio Manuel Martins - PS

Esta página foi actualizada em Setembro de 2008

Para mais informação consulte: J. F. Rebordainhos
(Informamos que a mesma tem alguma informação desactualizada)


Aldeia de Rebordainhos
(sede da Freguesia)

aldeia vista da Serra (poente)

Galeria de fotos antigas da Aldeia


Visualizar mais fotos

Aconselhamos vivamente a abrirem os lins do Blog (mapa com lugares marcados, página da Junta de Freguesia se quiserem saber mais sobre a Freguesia


Pelourinho e Igreja Matriz

Considerado imovel de interesse público em 1933

Ver mais fotos da Igreja e do Pelourinho


Aldeia dos Pereiros

Igreja dos Pereiros


Zona ocidental Sul da freguesia


Percurso pedestre dos Pereiros
Este percurso pode iniciar-se quer em Pereiros quer em Pombares. Deverá ser feito no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio. Iniciando em Pereiros, iremos subir em direcção à Fraga Rachada, contornando o Cabeço e apreciando a beleza do vale que se abre à nossa esquerda. A vegetação é abundante sendo salpicada pontualmente por lameiros verdejantes. A Igreja Paroquial de Pombares, invocada a S. Frutuoso, é um templo de porte mediano e traça austera, a um gosto possivelmente setecentista. Ladeiam-no, quais gigantescas sentinelas arbóreas, dois altivos e melancólicos ciprestes ...
Nota: Este texto foi retirado da página da Câmara Municipal de Bragança, onde também se pode obter o percurso pormenorizado e o respectivo mapa. Já fiz o percurso várias vezes e é de uma beleza indescritível, em especial Teixedo que, com as suas habitações em ruínas e a capela (que está conservada), oferece paz para a alma e regalo para a vista.
Estive agora mesmo a ver um artigo no Diário de Trás-os-Montes sobre Rebordaínhos (existe ligação a ele na lista de links) está interessante e fiquei a saber mais alguns pormenores sobre a aldeia, mas algumas das informações nele contidas deixaram-me duvidas, por exemplo, não ere os lugares de Arufe, Pereiros e Vales como fazendo parte da freguesia, por outro lado dá a antender, noutro trecho, que Vidoedo e Lanção, fazem parte da mesma, e não fazem. Fica aqui a correcção..

Lugar de Arrufe

Zona Oriental Norte da Freguesia - Capela de Santo André
Arufe já teve foral, veja no blog em etiqueta Arufe, post sobre o assunto


Quinta de Vilas Boas de Arufe






Zona Oriental Sul da Freguesia

Casa Solarenga e Fonte Romana

O emprendimento turístico da Quinta de Vila Boa de Arufe , a ser construído na freguesia de Rebordaínhos, no concelho de Bragança, será composto por um conjunto de 19 unidades de alojamento, sob a formade aldeamento turístico, tendo como apoio funcional o Solar a ser remodelado para Restaurante e zona social. As 19 unidades de alojamento terão a forma de moradias, sendo também constituído por um S.P.A., Piscina, havendo ainda lugar ao apoio agrícola desenvolvido pelo próprio empreendimento.
O Empreendimento deve primar pela elevada qualidade, tendo uma arquitectura que emprega materiais tradicionais da região, designadamente xisto e granito. A sua localização estratégica, de fácil acessibilidade a partir do IP4, e a fauna e flora circundantes (castanheiros, pinheiros, faias, carvalhos) fazem do Empreendimento Turístico da Quinta de Vila Boa de Arufe um lugar para o contacto directo e privilegiado com a natureza.
Fotos de cavalos

Lugar dos Vales

Zona Ocidental Norte da Freguesia


VALES - São menos de meia dúzia de habitantes na zona Ocidental Norte da Freguesia. Nunca foram muitos mais, como pode ver-se pelo reduzido número de casas.

O lugar é de um sossego quase mágico. O chilreio das aves e o soprar do vento são os companheiros afectuosos de quem visita o sítio.
Ver mais fotos do lugar


ENTRE QUEM É!

18 comentários:

Anónimo disse...

A nossa terra é bem linda!

Fatinha

Anónimo disse...

Espero que essa protecção se revele de facto mas, duma forma a não transtornar o nosso "sossego"

J. Stocker disse...

Ainda não estou bem elucidado das vantagens e desvantagens destas Zonas de Protrcção e de Rede Natura, penso que as vantagens são bastantes as desvantagens também exitem. por exemplo penso que o Empreendimento da Quinta e o PENOG, estão um pouco travados , também por este motivo.
Vou tentar ler sobre o assunto!

poesianopopular disse...

Aprendi na 4ª classe que estas serras fazem parte do grupo Galaico Duriense,
Peneda, Suajo Gerês, Laroupo Falperra e Cabreira, Montesinho Nogueira e Bornes.
Depois existem os outros, Luso Castelhano, o Toledano, e o MArianico.
As coisas que nós aprendemos!
Abraço
José Manangão

J. Stocker disse...

Caro
José Manangão

Já o conheço. pelos comentários deixasos na "Urzeira" foi um prazer, ver aqui um comentário seu, penso que esta visita se deveu ao Limk que a MFPS fez, após o meu comentário de ontem na Urzeira.
Confesso que ainda não fui ao seu blog, mas vou lá muito brevemente, esta fase de iniciar um blog é muito complicada, sobretudo a apresentação do mesmo, nada nos parece bem! por outro lado o tempo que a minha vista me permite estar aqui ao PC é pouco, pois uma delas escureceu, e só com a ajuda da Lupa, que lá vou conseguindo escrever, por vezes com alguns erros.
Estou a tentar que os outros membros do blog (Augusta e Olimpia) irmas da MFPS se entusiasmen e peguem nesta tarefa de divulgarem a sua aldeia, mas está dificil de virem a Terreiro
Eu também aprendi assim, e os rios , afluentes e sun afluentes, linhas de caminhos de ferro, mas já estou muito esquecido!
Entre sempre!

Um abraço

Sophiamar disse...

Tal como sugeriste, li o primeiro post e fiquei encantada. Uma visita a fazer.

Beijos

J. Stocker disse...

Cara sofhiamar

Obrigado pela visita e pelo comentário! A gente de Rebordaínhos também te agradece, gostam de receber e sabem-no fazer.
Agradeço o link no teu blog, solicitava , caso possível que o mesmo fosse alterado para este blog, o outro faço parte dele, por um convite simpático do HGVD e dos seus 4 filhos, mas está muito parado, já dei um empurrão colocando lá um post, que só surtiu efeito no imediato e confesso que o tempo que por motivos de saúde me deixa estar na blogosfera não me permite ajudá que eles precisavam, invisto a disponibilidade no meu próprio blog.
A aldeia de Rebordaínhos ficou parada no tempo, tem paisagens lindissimas e eu apaixonei-me por ela, só não é mais visitada porque não existem estruturas de apoio, não existe um sitio onde se possa almoçar ou dormir, por isso qualquer deslocação lá deve ser bam preparada e estudada, existem perto dela lugares a visitar, poderei ajudar a estabelecer um itinerário para uma visita de fim de semana a quem estiver interessado.

Um abraço

Chanesco disse...

Meu caro J.Stocker

Já aqui tinha estado, impelido pela curiosidade de conhecer a terra da MPS, da qual sou vizinho por afinidade (Vila Boa/Serapicos), mas não comentei.
Devo dizer-lhe que adoro terras bragançanas, talvez pelas parecenças com a minha Raia Perdida (Toulões/Idanha-a-Nova) e que, entre outras coisas, retenho a filosofia popular e os ditos dos transmontanos.
Esse "entre que é" também me é familiar.
Qundo o ouvi pela primeira vez, em Vila Boa, fez-me lembrar um dito que se utilizava amiude na minha terra, também com a chave sempre na porta:
- Quém vem lá?
- Gente viva, que morta não se quer cá.

Um abraço ... e continue a divulgar Rebordainhos.
A ver pelos "dados gerais" que apresenta a aldeia merece ser visitada.

J. Stocker disse...

Caro Chanesco

Obrigado pela sua visita, e pelas suas palavras, eu também não sou de Rebordaínhos, mas depois do casamento
a paixão estendeu-se ao sitio e às gentes, simples e boas.
A frase final do seu comentário
- Quém vem lá?
- Gente viva, que morta não se quer cá.
é interessante, faz-me lembrar os ditos da Tia Maria, lá da nossa aldeia.

Um abraço

MPS disse...

Meu caro Chanesco

Aqui me veio encontrar e brindar com aquelas frases saborosas que guarda na memória!

Um abraço

Anónimo disse...

João:
Faz uma visita ao google earth, e vâ a quantidade de fotografias que o neto da Áurea lá colocou.
Beijos
Augusta

Boieiro disse...

Bom dia

Muito interessante.
E que neste terreiro as pessoas e as ideias circulem livremente.

Parabéns aos colaboradores.

J. Stocker disse...

Caro Boieiro

Obrigado pela sua visita e pelas suas palavras.
Os colaboradores deste blog agradecem

Anónimo disse...

nunca vi aldeia tão "fixe" como esta!

alexandre

Jefferson disse...

Gostei muito de conhecer Rebordainhos.
Minha avó materna nasceu nessa freguesia, mas eu nunca tinha visto uma fotografia da região.
Minha avó faleceu em 2006.
Ela sempre contava, com muita saudade, histórias de sua infância.
Minha avó saiu de Rebordainhos em 1928, com 10 anos de idade,direto para o Brasil, nunca mais voltando para terra natal. O nome dela era Arlinda Aurora Alves.
Realmente parece ser um lugar muito calmo e de pessoas felizes. Achei Rebordainhos muito simpático e bonito.
Parabéns a todos moradores e a todos que gostam dessa terra!
Jefferson Bastos

Augusta disse...

Caro Jefferson:
Muito gosto em recebê-lo nesta nossa casa, e muito gosto emconhecê-lo, ainda que virtualmente. Mas, para que nos possamos conhecer melhor, pode adiantar-nos um pouco mais acerca de si e da sua família? Ainda tem familiares em Rebordainhos? Se sim, quem são?
Até à sua resposta, vou indagar para ver se consigo descobrir um pouco mais acerca de si e da sua família.
Um abraço e volte mais vezes.

Jefferson disse...

Infelizmente não sei se há parentes em Rebordainhos. Gostaria muito de tê-los.
Augusta:
Sei que minha avó escrevia para uma prima, mas me parece que deixou de escrever por volta de 1980 (não tenho certeza).
Quando minha avó faleceu, eu estava morando a mais de 400 Km de distância dela. Preciso ver quem ficou com as cartas que ela tinha (espero que não tenham jogado fora).
Enviei uma mensagem para (blog.rebordainhos@gmail.com). Lá constei, entre outros, os seguintes dados:
O pai de minha avó chamava-se Augusto Anibal Alves e a mãe Maria da Assunção Martins.
A mãe dela era filha de Luciano José Martins e de Maria do Rosário Lino.
O Pai dela era filho de Agostinho Cândido Alves e de Clotilde dos Prazeres Pereira, e neto paterno de Bento Alves e Maria das Neves, e neto materno de Francisco dos Santos Pereira e Maria Monica.
São os nomes que tenho, que eram de rebordainhos. (destes só conheci minha avó e sua mãe).
Coloquei algumas fotos de minha avó e de minha mãe na internet abaixo:

http://picasaweb.google.com.br/bastosjef/FotosComMinhaMaeEMinhaAvoArlinda#

Um abraço.

Fátima Pereira Stocker disse...

Jefferson

Creio que tenho novidades para ti, mas preciso de mais uns dias para poder confirmar a informação que me deram. Aqui em Rebordainhos só ocasionalmente é que consigo ligação à internet, por isso, espero o meu regresso a Lisboa para estar mais disponível.

Terei todo o gosto em publicar o texto que escreveste, mal tenha oportunidade.


Até lá, um abraço e muito obrigada pelo teu gosto em quereres saber das tuas e nossas raízes